quinta-feira, 4 de maio de 2017

EDUCAÇÃO CRISTÃ: FAMÍLIA E SOCIEDADE SÃ (VI)

Instruir a criança no caminho em que deve andar (PV 22:6) é uma orientação bíblica dirigida aos pais e que não pode ser negligenciada, nem transferida a terceiros, mesmo que esses sejam cristãos: avós, tios, babás, professores, etc. Nada tira a responsabilidade, que foi dada por Deus, exclusivamente aos pais. É dever dos pais ensinar, treinar e guiar os filhos no caminho do bem, da obediência, no caminho de Deus. Devemos guiá-los no caminho certo, no caminho da sabedoria.

“Guardem no coração todas as palavras que hoje declarei a vocês solenemente, para que ordenem aos seus filhos que obedeçam fielmente a todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 32:46).

DEVER COMO PAIS:

Como pais, temos a obrigação e o dever de colocar na cabeça de nossos filhos, desde cedo, a noção do que é certo e o que é errado; o que pode e o que não pode; o que agrada e o que não agrada a Deus, por um motivo simples: é o que a Bíblia manda fazer. Devemos explicar e ensinar a eles, no caminhar, no sentar à mesa ou na ida à igreja: quem é Deus, a Sua Aliança conosco e o Evangelho de Cristo.

Se deixarmos que as crianças escolham por si próprias, com certeza farão a escolha errada. Isso que psicólogos, sem o temor de Deus pregam: de que devemos deixar as crianças escolherem, está errado à luz da Palavra de Deus. Jamais devemos abandonar nossos filhos às suas próprias tendências e caprichos.

“A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe” (Provérbios 29:15).

Não são os gostos e desejos da criança que devem ser consultados, ao contrário do que o mundo tem ensinado, porque a criança ainda não sabe o que é bom para a sua mente, para o seu corpo, nem para a sua alma. Ela não tem condição de decidir o que deve comer, o que deve beber e como deve se vestir. Não deixe-a diante de uma tv ou de um computador sem sua supervisão constante. Mostre a ela que, como tudo nesse mundo, na tv ou na internet, temos coisas boas e ruins, coisas apropriadas para cada idade e coisas que não são apropriadas para um cristão.

A vontade própria é, geralmente, a primeira coisa que surge na mente de uma criança, e a nossa primeira ação deve ser o de resistirmos a ela. Não podemos ceder na primeira birra, mas devemos aproveitar cada momento para ensiná-la a maneira correta de agradar a Deus, pois viemos dEle e para Ele vamos voltar, para prestar contas do que fizemos nesta Terra.

Eu lembro que uma vez meu menino mais velho apareceu na minha frente calçando meus sapatos e me imitando. Eu vi aquela sena e aproveitei pra ensiná-lo: “filho, pra tudo tem um tempo. Vai chegar o tempo em que você vai ter a idade e o tamanho correto para usar o sapato correto, assim como em tudo na vida”.

Ficamos sem entender como pais cristãos, bem sensatos, demoram admitir que seus filhos cometeram alguma falta ou merecem uma repreensão. Faça isso enquanto é cedo. Faça enquanto ele é pequeno, quando ele crescer será tarde demais!

“Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor” (Efésios 6:4).

Outra coisa, não menos importante, é para que não cessemos de orar para que Deus aplique nossos ensinamentos no coração de nossos filhos. Temos que lembrar que o coração humano é pecaminoso, é assassino, vem de uma depravação da raça que pertencemos. A base de tudo vai ser o ensino que ele receber. Daí a importância de ensiná-los os caminhos de Cristo e orar pra que Deus tenha misericórdia.

A criança que cresce, seguindo o caminho que aprendeu dos seus pais, ela vai se desenvolver de acordo com os princípios que foi colocado no coração dela desde cedo. Se ela é ensinada e instruída conforme a Palavra de Deus, certamente quando crescer ela vai decidir seguir esse caminho. É a Palavra de Deus que garante isso. Por isso não podemos falhar no ensino para, depois, não ficarmos buscando saber onde foi que erramos.

Se você já perdeu a oportunidade de instruir o seu filho nesse caminho, porque ele já cresceu, ore por ele. Se você perdeu essa fase de instrução bíblica, e ele anda lhe dando trabalho, aumente sua oração em favor de seu filho, para que Deus tenha misericórdia.

“Levante-se, grite no meio da noite, quando começam as vigílias noturnas; derrame o seu coração como água na presença do Senhor. Levante para ele as mãos em favor da vida de seus filhos, que desmaiam de fome nas esquinas de todas as ruas” (Lamentações 2:19)

Que Deus aplique, no coração e na mente de todos, esta reflexão.